Blog da Lazuedu

Vacina x Soro – Entenda a diferença

Você já viu nos filmes, que quando uma pessoa é picada por uma cobra eles dizem que é preciso sugar o veneno e buscar uma medicação o mais rápido possível? Ou quando estamos em época de frio e as campanhas sobre a gripe começam? Para essas situações, podemos utilizar dois imunizadores que são na verdade bem diferentes entre si. E é sobre eles que vamos falar hoje: O Soro e a Vacina.

Frequentemente estamos produzindo anticorpos para defender nosso organismo de antígenos (substâncias como vírus e bactérias). A Vacina e o Soro são dois imunizadores, mas usados em diferentes situações. Ambos são fabricados a partir de organismos vivos, por isso são chamados imunobiológicos.

Então as Vacinas….

Entre as imunizações a Vacina é o mais comum, sendo que o Soro é utilizado como tratamento depois que a doença já está instalada ou também logo após o contato com um agente tóxico como veneno.

A principal diferença entre os soros e vacinas é que os soros já possuem os anticorpos necessários para combater uma determinada doença ou intoxicação, já as vacinas, nos protegem de determinada enfermidade. 

Quando uma vacina é aplicada, o corpo inicia a fabricação de anticorpos contra esse agentes infecciosos inanimados, evitando assim a contração de uma doença. Isso se dá através da memória celular. Se após um tempo, formos expostos a esse mesmo agente, o corpo será capaz de produzir uma resposta imunológica mais rápida destruindo o antígeno antes que ele cause um dano à saúde. Por estimular o sistema imunológico, chamamos de imunização ativa.

E os Soros?

Os soros não cumprem o papel de prevenção mas sim de cura. Quando aplicado, são liberados no organismo os próprios anticorpos prontos para combater as substâncias estranhas. Formando assim uma imunização passiva, que ao contrário das vacinas, não garantem uma proteção prolongada por não estimularem a  fabricação das células de memória. 

Os mais conhecidos são os antiofídicos, que neutralizam os efeitos tóxicos do veneno de animais como cobras e aranhas. Mas também há soros para o tratamento de doenças como, difteria, tétano e raiva, bem como são produzidos também, soros que reduzem a possibilidade de rejeição de certos órgãos transplantados, são chamados de anti-timocitários.

 Esse foi o post de hoje, espero que você tenha entendido as diferenças entre o soro e a vacina e a sua importância 🙂 Vamos continuar a falar sobre biologia e muitos outros assuntos

Por isso, fique ligado nas nossas redes sociais e aqui no blog. Bons estudos e até a próxima!

Sabrina Susan

Adicionar comentário

Segue a gente

Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.