Blog da Lazuedu - Tudo sobre estudos e vestibulares

Assuntos de Filosofia e Sociologia que mais caem no ENEM.

Desde 2009, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) ganhou uma grande importância na vida dos brasileiros. Instituído em 1998 pelo Ministério da Educação (MEC) e realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Enem se tratava apenas de um teste para avaliar as competências desenvolvidas ao longo da educação básica. Porém, ao decorrer do tempo, surgiu a necessidade de transformar o acesso às universidades brasileiras.

Ano após ano, com as provas ficando cada vez mais elaboradas, os alunos vêm buscando soluções para chegar cada vez mais bem preparados para a tão esperada avaliação. Seja por meio de cursinhos preparatórios, horas de dedicação, cansativos simulados ou outros meios, estudar para o Enem se tornou menos difícil.

#Humanas no Enem:

Sendo realizada no 1º final de semana da prova, a avaliação de Humanas do Enem continua sendo um dos principais quesitos na hora de calcular sua nota final para aplicar em programas de acesso à universidade, como Sisu, ProUni ou Fies. A prova de Humanas, tem peso em cursos como Direito, Jornalismo e Psicologia da UFAM por exemplo, sem contar que a nota nessa área ainda aparece como uma das principais na tentativa de ingressar em universidades no sudeste do país.

Mas o que cai nas provas de Filosofia e Sociologia do #Enem?

Filosofia e Sociologia:

Globalização e suas consequências:

A globalização é vista como uma etapa transnacional do capitalismo. As empresas passaram a sair das fronteiras dos seus países de origem em busca de novos mercados. Entretanto, o processo de globalização não se dá de maneira igual entre os países e pessoas do mundo. A principal consequência foi o aumento da desigualdade em escala planetária, por isso, é o mais abordado do Enem nos últimos anos.

Iluminismo:

O período de tempo citado foi um movimento filosófico e intelectual, com grandes implicações políticas, sociais e econômicas, que vigorou na Europa durante a Idade Moderna, mas cujo auge se deu no século XVIII, também conhecido como o “Século das Luzes”, fazendo com que o tema seja um dos temas que mais apareceu no principal vestibular brasileiro nos últimos anos.

Existencialismo:

Na filosofia existencialista, como o próprio nome diz, a existência humana é vista como o principal objeto dos pensamentos e teorias. A partir da existência, os filósofos afirmam que o homem existe independente de qualquer outra definição, ou seja, a existência já basta para que o homem exista por completo, não é necessário nenhum outro elemento que a comprove.

Marxismo:

O período é o conjunto de ideias políticas, econômicas e sociais que servem para compreender a realidade vivida por Karl Marx e Friedrich Engels no decorrer do século XIX. Karl Marx e Friedrich Engels desenvolveram um método para análise social, usado dentro da teoria marxista, leva em conta as relações de trabalho existentes no século XIX. Esse método é chamado pelos pensadores posteriores a Marx de materialismo histórico dialético, um dos principais temas do Enem nos últimos anos.

Contratualísmo:

Foi uma escola de pensamento filosófico que, basicamente, analisa o surgimento das sociedades civis. Os autores contratualistas John Locke, Thomas Hobbes e Jean Jacques Rousseau usavam a existência dos contratos sociais como uma forma de entender de que maneira, e diante de quais circunstâncias, o Estado Civil passou a regulamentar a vida em sociedade.

Relações de trabalho:

Correspondem as transições das fases do capitalismo, como: o capitalismo comercial, o industrial, monopolista/financeiro e especulativo por exemplo. Esses diversos momentos do capitalismo geraram mudanças nas perspectivas em relação ao trabalho, que foi modificado, alterado e reformulado diversas vezes, trazendo novas possibilidades de vivência para os seres humanos. 

Cultura de massa:

Foi o termo empregado para significar o processo de produção de bens de consumo (de vários tipos) que alcancem uma grande parcela da população, com fins fundamentalmente lucrativos e comerciais. Cultura de massa, portanto, se refere ao processo de mercantilização da cultura por parte dos esforços de toda uma Indústria Cultural. 

Movimentos sociais:

Os mais diversos movimentos sociais, dos mais diversos públicos, estão espalhados neste quesito como o 8º conteúdo com mais aparições no Enem. Temas como feminismo, racismo, movimentos de terra e homofobia são um dos possíveis temas.

Fé e Razão: São Tomás e São Agostinho:

São Tomás de Aquino ia na contramão de Santo Agostinho, colocando a razão em primeiro lugar. Tentava até mesmo explicar a fé por meios racionais, alegando que podia provar a existência de Deus. Argumentava que tudo está em movimento e todo movimento é causado por alguém. Essas divergências entre fé e razão entre os dois, figura como um dos recorrentes temas do Enem.

10º Pensadores da Grécia Antiga:

A filosofia nasceu com os egípcios mais de dois mil anos antes do período cristão, mas foram os filósofos gregos que, principalmente através da escrita, sistematizaram a arte de pensar sobre a existência humana, a ética e moral, o conhecimento, etc. Então pensadores, como: Tales de Mileto, Anaximandro, Pitágoras, Heráclito, Parmênides, Sócrates, Platão e Aristóteles sempre aparecem no Enem.

Confira nosso post sobre o tema no Instagram:

Clique aqui.

Luan Tavares

Adicionar comentário

Segue a gente

Adoramos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos.